Ouvir para Crer

In blog by zasnicoff

tratamentoCerca de metade dos emails que recebo dos leitores contém alguma pergunta sobre Tratamento Acústico. Às vezes é difícil acreditar que fazer um projeto e desembolsar 3, 4, 5 ou 10 mil reais pode fazer toda a diferença. Mais fácil é crer que comprar um microfone caro ou uma interface de áudio com mais funcionalidades vai nos ajudar a fazer músicas melhores. 

Visito estúdios todas as semanas para fazer medições acústicas e projetos de tratamento. Não é raro encontrar racks maravilhosos, completos, com equipamentos caríssimos e uma grande coleção de microfones vintage – que juntos somariam mais de R$50.000 – e ao mesmo tempo, uma sala que não teve nem R$500 de investimento na acústica.

Resultado? O som não está legal… e recebo uma ligação para tentar solucionar o problema. Quando o projeto já está executado, as melhorias são normalmente óbvias, notáveis. Cliente feliz, gastando muito menos do que um bom par de monitores de referência.

Por mais que eu diga que a sala deve ser encarada como um “equipamento” que está sempre ligado, só acreditamos quando ouvimos as diferenças. Imagine um equalizador totalmente desregulado na saída da mesa de som. Para piorar, conectado a um reverb de baixa qualidade, efeitos como flanger e slap echo, aleatoriamente configurados e sempre audíveis.

Este é um cenário de uma sala não tratada. É claro que é impossível equalizar, regular reverbs no computador ou fazer julgamentos confiáveis neste ambiente. Muita gente acha que é um exagero, que a sala não pode mudar o som tanto assim. Que um bom microfone e um bom par de monitores seriam mais importantes no resultado final.

Que tal ouvir para crer? Hoje coloquei no ar a terceira aula da turma que começou o Curso Online em Agosto. O tema é Tratamento Acústico. Oportunamente, encontrei este vídeo, da RealTraps , com excelentes exemplos gravados. Se quiser ir direto ao assunto, coloque seus fones de ouvido, pule para 6m23s e escute a diferença!