Posicionamento_Monitores_Home_Studio

Upgrade de Monitores sem Gastar Nada

In blog by zasnicoff

Posicionamento_Monitores_Home_StudioA menos que você trabalhe como Papai Noel de shopping center (ou qualquer coisa relacionada a shopping center), é bem provável que tenha um tempinho sobrando nestes próximos dias, não é verdade? Que tal melhorar BASTANTE o som do seu sistema?

Não estou falando de tratamento acústico, muito menos comprar um novo par de monitores. Trata-se de algo simples e eficaz, que apenas requer tempo livre e ajuda de um amigo.


Como melhorar o som dos monitores sem gastar nada

Quando montamos o home studio, normalmente nos adaptamos ao redor dos móveis já existentes. Definimos a posição de audição para depois colocar os monitores. Tem gente que até experimenta, variando a altura e o ângulo de inclinação, mas a maioria das pessoas apenas instala os monitores no espaço disponível, sem fazer qualquer teste de audição ou ajuste fino. Uma pena, porque a monitoração pode ser um dos maiores problemas dentro do home studio.

No mundo real, não existe o “som do monitor”, e sim o “som de um monitor dentro de uma sala em uma determinada posição”. O projeto de monitoração deveria ser a primeira etapa na montagem do estúdio. Móveis, equipamentos, cadeira e tratamento acústico viriam somente depois que o som da sala já estivesse otimizado. De preferência, a instalação dos monitores se daria com a sala vazia, sem móveis ou qualquer tratamento acústico, seguindo estes passos abaixo.


Passo a passo

1. Escolha do modelo dos monitores

Já comprou? Ótimo, provavelmente você escolheu bem. Sei que você ficou em dúvida entre 3 ou 4 modelos, mas a grande verdade é que qualquer um deles seria uma boa escolha. Siga para o passo 2 sem medo.

Ainda não comprou? É claro que não faz sentido investir em torres audiófilas de 3 vias para o quarto de 3x3m e nem usar monitores compactos em uma sala de masterização de 50 metros quadrados. Dito isso, é preciso tomar uma decisão e seguir adiante. Não adianta perguntar em fórums e nem escutar na loja para tentar decidir.

Via de regra, quanto mais puder gastar nos monitores, melhor. No entanto, o modelo do monitor é menos importante do que seu posicionamento dentro da sala.

2. Compreendendo a sala

Cada ambiente tem suas particularidades – densidade dos materiais, erros de paralelismo, dimensões, frestas, buracos, portas, janelas – e cada monitor emite o seu próprio som, de uma forma também particular. É impossível prever o que vai acontecer com o som dentro de uma sala. Estudos e medições podem nos dar uma idéia mas a única certeza vem da audição.

Existem diversas técnicas para a escolha da posição dos monitores – cálculos, sinais de testes, softwares – mas não queremos usar o raro tempo livre para ler livros ou aprender a usar softwares. A ideia é simples:

Esvazie a sala o máximo possível, ligue apenas um dos monitores e toque uma faixa conhecida que tenha bastante informação musical. Peça para um amigo segurar o monitor e caminhar pela sala. Mantenha sempre a mesma distância dele (cerca de 2 metros), use um barbante para facilitar. Concentre-se na audição. Escute, repare, preste atenção. Em algumas posições o som será mais focado, encorpado, forte (não necessariamente mais alto). Simplesmente soará melhor. Seu objetivo é buscar um som bem equilibrado e definido, de característica “mono”, sem efeitos laterais ou reflexões notáveis. Não tenha pressa e anote suas impressões.

3. Definindo a região

Colado ou afastado das paredes? Na parede mais longa ou mais curta? Perto ou longe da janela? O passo acima naturalmente responderá muitas das suas dúvidas.

Você terá uma boa idéia de onde ficarão os monitores e, consequentemente, a estação de trabalho e sua posição de audição. Talvez o local seja bem diferente daquele que você previa ou usava anteriormente. Mas lembre-se que a prioridade aqui é o som, não a aparência.

Na sequência, teste novamente as 2 ou 3 melhores posições e varie a distância entre você e o assistente. Aproxime-se alguns passos, afaste-se um pouco, continue anotando e faça quantos testes forem necessários.

É hora de escolher uma posição vencedora. Os dois monitores ficarão ao redor desta posição. Reposicione móveis e objetos de modo que eles se adaptem à posição dos monitores, e não o contrário.

4. Posicionamento final

Agora você já poderá visualizar onde ficarão os dois monitores, bem como onde irá se sentar. Só falta determinar a distância entre os dois monitores.

Esqueça a regra do “triângulo equilátero”. O posicionamento final poderá acabar formando um triângulo equilátero ou algo próximo disso, mas se não for o caso, tudo bem – o que vale é o teste de audição.

Com a ajuda de duas pessoas, permaneça na posição de audição (marcada no chão) e peça para afastarem e aproximarem os monitores entre si. Mais uma vez, não tenha pressa, experimente vários tipos de sinais e/ou músicas, incluindo material em mono.

Em algum momento, você saberá dizer qual é o melhor espaçamento.


Pronto! Se tudo correu bem, seus monitores estarão soando MUITO melhor do que antes.

Nenhum upgrade poderia trazer tantas melhorias quanto este ajuste de posicionamento. A partir daí, o tratamento acústico poderá otimizar ainda mais a sua monitoração (equilíbrio, ressonâncias, reverberação, interferências), porém o principal já foi feito.

Por incrível que pareça, quase ninguém faz isso. Não seja mais um, invista este tempo e comente aqui os seus resultados.

Aproveito para desejar boas festas, feliz ano novo!

Grande abraço,

Dennis Zasnicoff