Gravação Descomplicada

In blog by zasnicoff

Black Box Recorder - Gravador Versátil - Dennis ZasnicoffGravar costumava ser um processo objetivo e relativamente rápido. Se a  pré-produção estivesse concluída, músicos e produtor já sabiam extamente o que gravar e como gravar. Quando chegassem no estúdio, o técnico já teria preparado os microfones (conforme reunião com produtor) e endereçado os canais para as trilhas do gravador multi-pista. Haveria uma rápida passagem de som para regular os níveis dos sinais e pronto! Todos agora podiam se concentrar nas performances, procurando registrar o melhor de cada artista.

Atualmente, com raras excessões (estúdios que trabalham com você há anos e fazem reuniões detalhadas com antecedência), o processo de gravação não é tão simples assim…

Primeiro, você tem escolher a “plataforma” de gravação. Pro Tools? Cubase? Sonar? Logic? Nem sempre o produtor e/ou engenheiro de mixagem possuem todas as opções. Da mesma forma, o estúdio de gravação provavelmente só oferece uma ou duas. Que formato de arquivo? Bits? Sample-rate? A sessão no computador está configurada corretamente? O computador é confiável e estável? E a latência? Haverá foldback via computador? Que conversores serão utilizados e em que canais da interface eles estão conectados? Quantos canais? E se precisarmos de mais um? Interfaces precisam ser sincronizadas via clock? Depois da gravação, os arquivos serão convertidos e exportados? Para que formato? As trilhas estarão alinhadas no tempo? A gravação tomou o cuidado de identificar os takes? Como posso pegar todas as trilhas e levar para a mixagem e ter um backup?

Já dá para imaginar que a tecnologia trouxe algumas dificuldades. Se por um lado ficou mais barato adquirir diversos equipamentos e opções para gravação, por outro, perdemos um bom tempo de estúdio (ganhando um grande risco de problemas) antes de começar uma sessão. Nesta altura do campeonato, os músicos já estão cansados de não fazer nada. E o tempo de estúdio está passando. “Nós descontamos o tempo”, explica o técnico. “Ok”, você responde, mas é tarde demais para retomar o ânimo e confiança dos músicos. Mesmo que todas estas perguntas estivessem respondidas antes da sessão, ainda assim haveria riscos: computador travar, não aguentar gravar o número de canais simultâneos, ou o técnico ter cometido algum engano, atrasando consideravelmente as etapas seguintes de edição e mixagem.

Meu sonho seria chegar no estúdio, ajustar níveis, gravar e sair levando as arquivos sem nenhuma dificuldade técnica. Depois, no meu estúdio, abrir as trilhas e começar a editar e mixar sem perda de tempo. Melhor ainda, sabendo que tudo foi captado corretamente e está claramente identificado e alinhado no tempo. Posso criar minha sessão de mixagem do “zero”, no meu software preferido, com as minhas configurações e nomenclaturas.

Parece que que este sonho está cada vez mais próximo. A JoeCo lançou o Black Box Recorder, um gravador de 24 pistas, fácil de usar, para HDs portáteis. Tudo o que você precisa fazer é conectar o seu disco USB. Imagne a cena. O estúdio de gravação possui uma caixa destas instalada nos inserts da mesa. Você chega e conecta seu HD. O técnico ajusta os níveis e começa a gravar. Os arquivos gravados no SEU HD são automaticamente identificados, numerados e estampados com Time Code, em formato BWF, compatível com a grande maioria das plataformas. Ninguém precisa preparar nenhuma sessão de Pro Tools ou Nuendo. Se precisar, toque um MP3 guia para os músicos gravarem, com um click de metrônomo, utilizando QUALQUER player ou plataforma, já que o áudio não será gravado nela. Pode até usar um metrônomo tradicional, balançando de um lado pro outro dentro do estúdio. Se precisar fazer loops e takes sucessivos, é só enviar um MIDI Time Code do seu player para o gravador. Ele estampa corretamente os arquivos, que serão importados totalmente alinhados em qualquer plataforma quando você plugar o HD no seu estúdio mais tarde.

Maravilha! Se o estúdio não pretende investir neste recurso, talvez seja uma boa você comprar o seu. Que tal? Um sistema de gravação portátil que pode ser usado em qualquer estúdio ou situação, à prova de falhas de técnico e problemas no computador. Gravar uma banda ao vivo também ficou mais fácil. Você não precisa mais levar o notebook e as interfaces. É só pegar um INSERT ou DIRECT OUT da mesa de som. Ou um ADAT dos conversores. Não vai atrapalhar o técnico e você mesmo pode gravar.

Quem sabe a próxima versão já vem com HD “engavetável” e um formato “lancheira” mais portátil.